Símbolos da Maçonaria – Significados, Origem dos símbolos, Curiosidades

A palavra Maçonaria vem do francês: Maçonierie. Tal vocábulo é derivado de maçon, ou seja pedreiro. Veja aqui os símbolos da Maçonaria!

A Maçonaria é divida em duas fases. A primeira é a operativa, onde seus integrantes eram trabalhadores, principalmente, de construções de igrejas e catedrais. Já a segunda é chamada de especulativa, onde os adeptos da sociedade introduziram a arte de refletir às atividades da maçonaria.

A origem da maçonaria

A origem da Maçonaria é incerta, assim como partes de sua história. De acordo com alguns historiadores que estudaram a sua história, a origem mais provável da Maçonaria é que ela descenderia de corporações bastante antigas. Nessa época, na Idade Média, seriam formadas por mestres-pedreiros e construtores de igrejas e catedrais.


Imagem do Símbolo da Maçonaria

Símbolo da Maçonaria

Acredita-se que desde a época da antiguidade, os construtores que possuíam conhecimentos especiais formavam um tipo de aristocracia entre os demais. Durante a Idade Média, os construtores de palácios, igrejas e catedrais recebiam alguns benefícios das autoridades eclesiásticas. Esses benefícios poderiam ser: isenções de impostos ou tribunais especiais.

Vem daí a denominação da língua francesa franc-macon – cuja tradução é pedreiro livre. A arquitetura era, então, considerada uma Arte Real. E os segredos eram apenas revelados àqueles que demonstrassem-se dignos de sabê-los. Existia entre os construtores algo considerado como ideal e a construção de uma obra suprema era tida como Templo Ideal.

Alquismistas e pensadores da época, que eram defrontados e perseguidos por espíritos menos esclarecidos,  buscavam proteção entre os pedreiros livres. Crê-se que eles tinham em mente que tais pedreiros livres eram capazes de protegê-los devido aos privilégios que detinham. Alguns alquimistas e pensadores eram aceitos. Esses ficariam conhecidos como Maçons Aceitos ao invés de Maçons Antigos, que eram os construtores.

Obviamente nem todos eram aceitos. Para ser aceito realizam-se sindicâncias e depois de submetidos a elas e aceitos por meio de uma série de provas, fazia-se a iniciação. Aos iniciados cabia o juramente de guardar segredo dos ritos e respeitar as normas da Maçonaria.

Expansão da Maçonaria

No século XVI, um número considerável de Maçons Aceitos já existia, com predominância para os maçons da entidade Rosa-Cruz . Entre esses maçons, estava Elias Ashmole um alquimista, que entrara na maçonaria com um grupo de amigos teólogos, por volta de 1646. A partir desse evento, por decisão dos novos membros, a Maçonaria se organizou como sociedade. O objetivo dessa sociedade era construir o Templo de Salomão – o templo ideal das ciências.

Elias Ashmole conseguiu, então, permissão para que a sociedade fizesse reuniões no Templo Maçônico. Aos poucos, elementos preliminares a Fraternidade de Rosa Cruz passaram a fazer parte da Maçonaria. Aqui, alteraram-se rituais, principalmente aos de iniciação.

Na época exista uma hierarquia maçônica baseada apenas nos graus de aprendiz e de companheiro. O Mestre seria apenas  o encarregado de uma construção.

No ano de 1964, Elias Ashmole teria criado o grau de Meste, o que formou uma base definitiva para a hierarquia da Maçonaria.  Tempos depois, a Maçonaria se expandiu pela Inglaterra, quando deu-se uma grande transformação na Maçonaria guiada por Jacques Anderson.

Jacques Anderson era um  presbítero londrino, com diplomação em filosofia e Desagulliers – que significa Grão Mestre. Ele fora eleito como Grão Mestre em 1719. A partir daí, a Maçonaria passou a desenvolver atividades com tendências de uma instituição filantrópica.

No ano de 1723 foi lançado e aprovado o Livro das Constituições Maçônicas, que fora revisto e aprovado por Jacques Anderson. O documento passou, em pouco tempo, a ser a Carta Maior da maioria das lojas maçônicas. Uma doutrina se propagava, sobretudo, com caráter humanitário, deísta espiritualista e aberta a todos os homens cristãos – independente da seita – e leais aos poderes públicos.

É esta origem, relacionada aos construtores da era medieval, que explique o porquê da simbologia dos maçons estar relacionada ao tema construção.

Principais Símbolos maçônicos e seus significados

Os principais símbolos maçônicos são: o esquadro e o compasso.

Origem dos símbolos maçônicos

Os Símbolos Maçônicos são a reunião de símbolos em que se baseiam a filosofia maçônica. Eles tem origem no início da Maçonaria, onde os grupos eram formados por construtores e pedreiros.

Um dos principais símbolos maçônicos, o Esquadro, é resultante da junção da linha vertical com a horizontal. De forma simbólica remete a retidão e a ação dos homens sobre a matéria, assim como a ação do sobre si mesmo. Ainda faz referência que as condutas dos integrantes da maçonaria devem ser baseadas por um linha reta. Também transmite a ideia da inflexibilidade e da imparcialidade, além da precisão do caráter. Pode-se considerar ainda que simboliza a moralidade, a retidão e as coisas concretas.

Outro principal símbolo da sociedade maçônica é o compasso. Sendo ele um instrumento de desenho, simboliza o pensamento, o espírito e também pontos de vistas. Os círculos que o compasso faz representam ainda as lojas maçônicas.

Imagem do Olho que Tudo Vê

Olho que Tudo Vê

O Esquadro e o Compasso simbolizam também a materialidade e a espiritualidade do homem. Quando estão reunidos indica o grau de uma loja maçônica. Por exemplo, em uma loja de Aprendiz o esquadro fica sobreposto ao compasso. Na loja de Companheiros,os dois objetos se entrecruzam. Já na loja de Mestre o compasso fica acima do esquadro.

Símbolos maçônicos espalhados pelo mundo

Além do esquadro e do compasso, a Maçonaria tem outros símbolos. Todos eles estão espalhados pelo mundo e seus integrantes os reconhecem facilmente. Mais alguns símbolos maçônicos são:

  • Olho: simboliza o Deus onisciente e onipresente.
  • Pirâmide: representa a provável origem da sociedade maçônica, no Antigo Egito.
  • Novus ordo seclorum: Nova ordem dos séculos.
  • Coluna B: sempre à esquerda da entrada das lojas maçônicas, simboliza o bisavô do rei Davi. É a primeira coluna de um templo.
  • Coluna J: fica sempre à direita. O nome é a junção das palavras hebraicas jah – que quer dizer Deus, Jeová – e achin, que signfica estabeler. Representa a 2ª coluna de um tempo.
  • Nível: emblema que representa a igualdade e a justiça e significa ainda a irmandade existente entre os maçons.
  • Escada: simboliza a ligação entre a terra e o céu.
  • Mosaico: pavimento em preto e branco que simboliza dois princípios: o positivo e o negativo. Refere-se a dicotomia entre o bem o e mal, entre a luz e a escuridão.
  • Símbolos da Maçonaria Sol e Suástica

    Sol e Suástica

    Sol e Suástica: o sol representa a chama do amor divino. Já a suástica representa o renascimento.

  • Colmeia: faz referência a indústria. Trata-se de um importante símbolo maçônico, que faz referência a cooperação e a colaboração.
  • Triângulos: como tem 3 lados, representa os princípios da sociedade maçônica: fé, caridade e esperança.

Curiosidades dos símbolos

Confira agora algumas curiosidades sobre os símbolos maçônicos:

  • A maioria dos símbolos maçônicos são baseados em objetos usados em construções.
  • Os símbolos maçônicos fazem referência constantemente ao aprimoramento moral, intelectual e espiritual,
  • Os símbolos maçônicos não tem função ritualística nem carregam habilidades mágicas.
  • Você nunca verá um maçons prestando homenagem a um símbolo maçônico.
  • Os símbolos maçônicos possuem apenas a função de texto.
  • Os símbolos maçônicos representam mensagens, que são rapidamente captadas e traduzidas por um integrante da sociedade em qualquer parte do mundo.

Pergunta dos leitores

O simbolo do olho é maçônico?

O olho maçônico representa a presença onisciente e onipresente de Deus. É o olho que tudo vê.

Existe símbolos da maçonaria em igrejas?

Sim, é possível encontrar alguns símbolos da maçonaria na igreja católica. Isso porque a origem da maçonaria, como mencionado, se deu por pedreiros e construtores de igrejas e catedrais.