Quem é Lilith? Qual Sua Origem? Ela é um Demônio? Ela Está Na Bíblia?

Lilith é uma figura que desperta curiosidade em todos nós. Muitos acreditam que ela teria sido a primeira mulher que viveu com Adão no Paraíso. Já outros não creem muito nessa versão sobre Lilith.

Quem foi Lilith?

No livro bíblico de Gênesis, em seus primeiros trechos, é muito abordada a criação do ser humano. Por isso, há diversas dúvidas e questionamentos quanto à frase ““à nossa imagem e semelhança”. No livro, Eva teria sido a mulher de Adão, que foi feito de barro à imagem e semelhante do Criador. Eva teria sido criada da costela de Adão.

Porém, muitas pessoas questionam a presença da figura na hora da criação do ser humano. Na cultura judaica – assim como no folclore folclore hebreu e na mitologia Suméria – neglicencia-se a versão da Bíblia Sagrada. Nas escrituras sagradas, por exemplo, Lilith é citada apenas uma vez, em em Isaías 34:14. De qualquer forma, essa referência só é constatada nas versões mais antigas da Bíblia.

Qual o significado de Lilith?

No idioma hebraico significa “לילית”, já no árabe, “ليليث”. Lilith foi uma deusa muito cultuada pelos povos da Babilônia e da Mesopotâmia A sua figura era vinculada aos ventos e tempestades.


A figura dela, em algumas culturas, se aparece como um demônio. Já na cultura islâmica, Lilith é tida como a primeira companheira de Adão e fora acusada se representar a serpente que seduziu Eva a comer a maçã proibida. Essa versão da história de Lilith tem sido cada vez mais acreditada.

Qual a sua história?

Muitos evangelhos antigos, que deveriam constar na Bíblia Sagrada, foram suprimidos. Isso como no evangelho de Maria Madalena, Judas, São Tomé, Gênesis II e Jesus. Conta-se que ficou decido no Concílio de Nicéia que determinados trechos desses evangelhos seriam destituídos.

Por volta do ano de 1945, perto da cidade egípcia de Nag Hammadi (Egito), mais de 50 cópias contendo trechos antigos da Bíblia foram encontradas em cerca de 13 códices protegidos por couro. A Igreja Católica, porém, tratou rapidamente de afirmar que tais escrito à mão seriam falsos, se apropriando deles e mantendo-os trancados no Vaticano.

Em alguns desses evangelhos, aponta-se que consta a história. Ela sendo, assim, a primeira mulher de Adão. De acordo com a história escrita, Deus criara Adão através de pó.

Porém, ela parecia não aceitar a situação de ser submissão a Adão. Até mesmo porque eles teriam sido criados do mesmo material. Ela questionava: “Por que devo abrir-me sob teu corpo?”, “Por que devo deitar-me embaixo de ti?”,  “Por que ser dominada por ti?”

Com tudo isso, Lilith se revoltava com a condição imposta pelo Criador em relação à Adão. E, assim, decidiu por abandonar o Jardim do Éden.

uma pintura da Lilith

História – Parte 2

Adão se sentira triste e solitário sem a presença de Lilith. Suplicou, então, a Deus que lhe mandasse outra companheira. Foi quando, de um pedaço da costela de Adão, o Criador fez Eva – uma companheira muito mais submissa ao homem.

Exitem, sim, alguns trechos na Bíblia que podem dar pistas sobre a existência dela. Por exemplo, Em Genêsis 2:23, está dito: “E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne; esta será chamada mulher, porquanto do homem foi tomada.” Isso nos da a impressão de que outra mulher não tivesse sido feita de parte do corpo dele.

Ainda assim, a figura de Lilith consta em diversas outras culturas. Sua história, por exemplo, é bastante conhecida no meio hermético judaico. A sua figura ainda é estudada em diversas literaturas. Ela surge com um demônio noturno na crença mais tradicional judaica e na cultura islâmica. Lilith representaria um espírito vingativo de mulher, como em outras culturas hebraicas.

Lilith é um demônio ou uma deusa?

Para muitas culturas, ela é uma deusa que não se submeteu a Adão. Já para outras crenças, Lilith representaria um demônio feminino.

Lilith é considerada uma figura de extrema beleza e poder de sedução. Seria ainda considerada, em algumas culturas, como a concubina predileta de Lúcifer, recebendo o título de rainha do inferno.

Para outros, seria realmente a primeira mulher de Adão e o primeiro ser feminino criado por Deus. Porém, Lilith não fora gerada a partir de uma parte (costela) de Adão e, por esse motivo, não era obediente a ele. Ela  teria sido criada de forma igual a Adão e, assim, era dona de uma personalidade forte e independente.

Lilith ainda era uma mulher livre e não aceita ser sexualmente submissa a Adão. Acredita-se que ela se recursa, durante o ato sexual, a ficar deitada debaixo de Adão – o que o desagradava, Fora por esses motivos que Lilith  deixou Adão e o Paraíso e fugira para o mar, onde passou a se relacionar com demônios.

Na mesopotâmia

Na cultura da Mesopotâmia também representa a figura de um demônio feminino. Sua figura é vinculada ao vento e, assim, se acredita que Lilith era representante de diversas doenças, pestes e até mesmo anunciadora da morte.

No então, por algumas vezes, a figura dela era associada à água. Igualmente nas escrituras hebraicas, era associada a um tipo de demônio.

Lilith na mitologia grega

Na Mitologia Grega, Lilith era considerada uma Deusa. Representava uma espécie de protetora das portas do inferno. Lilith também representaria a vida na noite e a rebeldia das mulheres sobre a soberania dos homens,

Na mitologia hebraica

pintura de Lilith

Na Mitologia Hebraica, a imagem dela mais conhecida é como de um símbolo negativo. É possível percebemos, nessa cultura, a mutação aos moldes hebraicos em um demônio. Com a figura, na mitologia hebraica, surgiram as primeiras lendas sobre vampiros.

De acordo essas lendas. Lilith concebia 100 filhos ao dia: as súcubus (mulheres) e os incubus (homens). Seus filhos se alimentavam de energias que saiam dos atos sexuais humanos. Os filhos ainda tinham o poder de manipular os sonhos das pessoas, sendo responsáveis por diversos pesadelos.

Existem, porém, algumas peculiaridades nos ataques feitos por Lilith. Um deles era o abraço esmagador sobre o peito de uma pessoa, como uma forma se de xingar de ter sido obrigada, por um tempo, a se submeter a Adão. Ela ainda tinha uma incrível habilidade, de acordo com a Mitologia Hebraica, de retirar o órgão sexual masculino com a sua vulva.

Lilith representava também a liberdade sexual feminina. Assim como pregava a castração dos homens.

Lilith no judaísmo

Para o judaísmo, o primeiro capitulo da Bíblia aborda a história de Adão e Eva. Porém, de acordo com o Zohar (observações rabínicas dos textos sagrados), Eva não teria sido realmente a primeira mulher de Adão.

Para a interpretação do Judaísmo, Deus criara um macho e uma fêmea. Depois, teria cortado Adão ao meio e colocou o nome, nessa outra metade, e a ofereceu a Adão. Porém, não aceitou ser oferecida a Adão. Ela se considerava igual a ele e não um ser submisso.

Lilith, então, para fugir da situação, saiu do Éden com um demônio. Assim, Deus criou Eva para solucionar a solidão de Adão,por meio de parte de sua costela.

Interpretações diferentes e divergências

Há muitas interpretações divergentes sobre ter sido ou não a primeira mulher de Adão. O ponto mais discutido é o trecho de Gênesis em que Adão diz: “Esta sim, é ossos dos meus ossos…”.  Isso nos passa o pensamento que existira, sim, outra, mulher antes de Eva, mas que não teria sido feita a partir de seu parte de seu corpo.

Pergunta os leitores

O nome Lilith já apareceu na bíblia?

A existência de Lilith está subscrita na Bíblia. Muitos creem que em Genêsis 2:23, quando o trecho diz : “E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne; esta será chamada mulher, porquanto do homem foi tomada.”, nos passa a impressão de que outra mulher teria sido criada, porém, não da parte de Adão, como fora Eva.

Outras teorias afirmam que o nome de Lilith aparece em diversos evangélios, porém, a Igreja Católica teria se apropriado dos escritos e mantido-os trancafiados no Vaticano até hoje.

A história de Lilith é verdade ou mentira?

Lilith é citada uma vez em Isaías 34:14, na versão mais antiga da Bíblia. Assim,  não pode-se afirmar que a história de Lilith é verdade ou mentira.

Tudo depende da cultura na qual a pessoa segue e no que ela acredita. O assunto gera diversas polêmicas e controversas até os dias atuais.